Curitiba em Imagens

Curitiba em Imagens
Minha cidade

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

GLOSSÁRIO DE TERMOS AFRO-BRASILEIROS



Abadá – (hauçá/kwa) túnica longa, casaco folgado e comprido, usada pelos muçulmanos na África e pelos malês no Brasil, em casa e para orar, e posteriormente, traje masculino semelhante, de uso informal. No Rio de Janeiro, designação da calça usada pelos capoeiristas.


Abará – (kwa) bolo de feijão-fradinho, preparado com azeite-de-dendê, envolvido em folhas de bananeira e cozido em banho-maria.

Acarajé – (kwa) bolinho de feijão-fradinho temperado e moído com camarão seco, sal e cebola, frito em azeite-de-dendê.

Agogô – (kwa) instrumento ritmador constituído por duas campânulas de tamanho diferente, feitas de ferro e unidas por um cabo em forma de U, que se percutem com uma vareta também de ferro.

Angu – (kwa) pirão de farinha de mandioca, de milho ou de arroz, temperado com sal e cozido.

Axé – (kwa) todo objeto sagrado da divindade; energia sagrada dos orixás, força divina e o objeto ou ser sobre o qual ela se fixa; no Brasil tornou-se também uma saudação em que se deseja força ou energia a outra pessoa

Babá – (banto) tratamento que era dado às mas pretas e velhas, e hoje a qualquer ama-seca ou ama-de-leite; a criadeira, a que nina e acalma bebês com tapinhas na bunda.

Bagunça – (banto) desordem, baderna, confusão; pândega ruidosa.

Banzo – (banto) nostalgia que atacava os negros africanos em cativeiro, muitas vezes levando à morte.

Beleléu – (banto) na expressão “ir (ou ir-se) para o beleléu”: morrer, sumir, desaparecer, e por extensão, frustrar-se, fracassar, malograr.

Berimbau – (banto) instrumento musical usado na capoeira, constituído de um arco de madeira com uma cabaça presa à extremidade inferior, retesado por um fio de arame que é percutido com uma varinha.

Borocoxô – (banto/kwa) diz-se de pessoa, fraca, mole, sem coragem, ou envelhecida.

Cafofo – (banto) quarto, recanto privado, lugar reservado com coisas velhas e usadas; sepultura; terreno pantanoso onde a água apodrecida em charcos exala mau-cheiro.

Cafuné – (banto) ato de coçar a cabeça de alguém fazendo leves estalidos com as unhas para provocar sono.

Calombo – (banto) tumefação cutânea, inchaço, protuberância; montículo.

Candomblé – (banto) culto ou conjunto de crenças religiosas dedicadas a divindades africanas; local de adoração e de práticas religiosas afro-brasileiras na Bahia; associações religiosas afro-brasileiras, cada uma dirigida por um pai- ou mãe-de-santo, organizadas por linhas hierárquicas bem definidas.

Cangaço – (banto) bando, grupo de bandoleiros; modo de vida dos cangaceiros, foras-da-lei que viviam no sertão nordestino.

Canjica – (banto) papa de milho verde a que se junta leite de coco ou de vaca, açúcar, cravo e canela.

Capanga – (banto) guarda-costas, valentão que se põe a serviço de quem lhe paga; pequena bolsa que se leva a tiracolo.

Capenga – (banto) coxo, manco.

Carimbo – (banto) instrumento com se marcam a tinta papéis de uso oficial ou particular; marca produzida por esse instrumento, selo, sinete.

Catimba – (banto) manha, astúcia.

Caxambu – (banto) grande tambor de origem africana usado na dança do mesmo nome, no Moçambique e no jongo, atabaque; espécie de samba dançado ao som desse tambor.

Caxumba – (banto) parotidite.

Corcunda/cacunda – (banto) costas, dorso; protuberância deforme nas costas ou no peito, corcova, giba.

Cotoco – (banto) faca pequena

Dendê – (banto) palmeira, fruto da palmeira ou o óleo extraído desse fruto.

Dengo – (banto) birra ou choradeira de criança, manha; faceirice; melindre feminino.

Dunga – (banto

Encabula(r) – (banto) envergonhar, acanhar-se; dar má sorte a alguém; intrigar, preocupar; aborrecer, amuar.

Encafifa(r) – (banto) amuar, calar-se de repente; envergonhar-se; mortificar, desagradar.


Fubá – (banto)farinha de milho ou arroz.


Funga(r) – (banto) aspirar fortemente com ruído; respirar com dificuldade; absorver pelo nariz; farejar; resmungar, ficar zangado.

Futrica – (banto) mexerico, intriga, fuxico.

Fuxico – (banto) mexerico, intriga; segredo; remendo, alinhavo com agulha e linha; amizade muito estreita; namoro desavergonhado


Galalau – (banto/kwa) homem magro, muito alto.


Gangorra – (banto) aparelho para diversão infantil, formado por uma tábua apoiada num espigão sobre o qual oscila, de modo que as crianças sentadas cada uma numa extremidade da tábua subam e desçam alternadamente; na Bahia, balanço feito de uma tábua pendurada em duas cordas.

Garapa – (banto) caldo da cana, quando destinado à destilação; qualquer líquido em fermentação para depois ser destilado; bebida refrigerante de mel ou açúcar com água, em que às vezes se adicionam gotas de limão; refresco de qualquer fruta; coisa fácil de conseguir.

Gogó – (banto/kwa)pomo-de-adão.



Iaiá – (banto/kwa) – forma respeitosa de tratamento para as mulheres jovens, hoje quase abolido.

Ialorixá – (kwa) mãe-de-santo.

Ilê-Aiê – (kwa) a África; a casa do
Jabá – (kwa) carne seca, charque.


Jabaculê – (banto) gorjeta, dinheiro.

Jagunço – (kwa) valentão, guarda-costas de algum senhor de engenho ou fazendeiro; indivíduo do grupo de Antônio Conselheiro na Guerra de Canudos (1896-1897)

Jiló – (banto) fruto do jiloeiro, de sabor amargo.
Lengalenga – (banto) conversa-fiada, enganosa; discurso longo e enfadonho.


Lundu – (banto) dança de par solto, de origem africana, que teve seu auge no Brasil em fins do século XVIII e início do XIX. Daí em diante, canção solista, influenciada pelo lirismo da modinha e frequentemente de caráter cômico. E também, o mesmo que calundu – amuo
Macaco – (banto) símio.


Macumba – (banto) denominação genérica para as manifestações religiosas afro-brasileiras, principalmente no Rio de Janeiro e nas zonas rurais, de base congo-angola com influências ameríndias, católicas e espíritas; sessão de feitiçaria, de magia negra.

Mambembe – (banto) medíocre, de má qualidade; inferior.

Maracutaia – (banto) engodo, trapaça.

Marimbondo – (banto) vespa.

Maxixe – (banto) fruto do maxixeiro; dança urbana, de par unido, surgida no Rio de Janeiro entre 1870-1880, resultado da fusão da habanera e da polca com uma adaptação do ritmo sincopado africano, que teria sido inventada por um conhecido dançarino e boêmio da época cujo apelido era Maxixe.

Minhoca – (banto) designação geral dos animais anelídeos. Em quicongo e quimbundo, o sufixo indicador de diminutivo “mi”foi adicionado ao termo nyoca (cobra).

Moleque – (banto) menino, garoto, rapaz; menininho negro.

Muvuca – (banto) confusão, agitação, festa familiar de última hora, improvisada.

Muxoxo – (banto) estalido com a língua, demonstrando enfado ou desdém

Orixá – (kwa) designação genérica das divindades do panteão iorubá ou nagô-queto; designação genérica das divindades africanas cultuadas no Brasil.

Oxalá- (kwa) a divindade suprema da criação, pai de todos os orixás.

Perrengue – (kwa) diz-se de pessoa alta e magra, de aparência doentia; covarde, medroso; fraco; lerdo; imprestável, ruim; que sofre de manqueira crônica.

Quiabo – (banto) fruto capsular do quiabeiro.


Quibebe – (banto) purê de abóbora, leite de coco e sal.

Quindim – (kwa/banto) graça, meiguice, faceirice; doce feito de gema de ovo, coco e açúcar; benzinho, amorzinho.

Quitanda – (banto) pequeno estabelecimento onde se vendem frutas e verduras; tabuleiro de vendedores ambulantes.

Quitute – (banto) petisco, iguaria

Requenguela (banto) pretensioso, fingido.
Sacana – (banto) canalha, patife (interjeição); indivíduo desprezível, sem-vergonha; pessoa zombeteira, que faz troça.


Samba – (banto) dança e música popular brasileira de compasso binário e acompanhamento sincopado; cerimônia pública de macumba; festividade barulhenta acompanhada de dança; qualquer cerimônia pública afro-brasileira;

Sunga – (banto) calção de criança; calções de banho de mar; cuecas.

Tanga – (banto) tapa-sexo, qualquer pano para tapar as partes genitais, parte inferior do biquini.


Tipóia – (banto) suporte de rede, rede pequena para dormitório de criança; lenço ou tira de pano que se prende ao pescoço para apoiar mão ou braço doente.

Titica – (banto) coisa sem valor, excremento de aves.

Tutu – (banto) bicho-papão; feijão cozido, engrossado com farinha, toucinho de porco e carnes salgadas; dinheiro.

Urucubaca – (banto) má sorte, azar.
Xinga(r) – (banto) insultar, ofender, injuriar.


Xodó – (banto

Zabumba – (banto) grande tambor de madeira, bombo; conjunto instrumental no Nordeste do Brasil, de que esse instrumento faz parte.


Zanga – (banto) irritação, cólera, briga




Fonte: Glossário de termos afro-brasileiros.